Archive / my Beloved Craft

RSS feed for this section

o crochet da avó, o crochet da mãe

Tenho 42 anos e por todos estes anos vi, não, vejo a minha mãe sempre dedicada ao seu crochet. Nunca a vi sentada no sofá sem fazer nada, aliás, raramente a vejo sentada num sofá. Sempre sentada à mesa, de agulha e linha na mão seguindo um esquema de uma revista, da “revista azul”. Abertos e fechados, abertos e fechados. Aranhas e ponto cruzado.  Conjuntos de quarto, naperons, toalhas de camilha, toalhas de mesa, colchas, bicos para cortinas, panos de cozinha. Branco e cru, não bege, cru. Branco e cru, sempre.
No meio deste reportório, lembrava-me de a ver  fazer umas almofadas em forma de coração para quartos de casais em lua-de-mel. Uma piroseira. Mas, porque não para quartos de meninas pequeninas dadas aos corações? Pensei, eu. Foi o que lhe pedi, para ressuscitar esse modelo antigo e fazê-lo para a sua neta, num lindo cor-de-rosa vintage, numa linha antiga vinda do antigo armazém das linhas Âncora. O resultado é o que vêem na fotografia. A neta adorou e eu abandonei a ideia de piroseira.  Numa decoração simples fica bem, denota esmero, cuidado. Uma reminiscência de outros tempos. No contexto certo, a almofada é linda.
Outro pedido, também já satisfeito, foi o naperom (este nome….) para a minha mesa de jantar. Outra piroseira, achava eu há uns tempos atrás. Mas o meu seria verde, verde escuro. “Verde?! Para a sala?!” Pois, e porque não? Verde, a cor que deu modernidade a uma peça que em branco só estaria bem na casa da avó ou num apartamento kitsch.
Lindos revivalismos que aconchegam a casa com memórias e afectos.

 

tutorial do XAILE SIMPLES

Este é o mesmo desenho do xaile do post anterior, mas feito com uma linha mais grossa, a tal que nos dá a vantagem de conseguir fazer uma peça num dia. E num dia este xaile foi feito, mesmo a tempo de o estrear num jantar de aniversário. Como já referi num post antigo (2013!!), são vantagens de “saber fazer”.

Também no post anterior, partilhei o esquema feito por mim deste simples xaile, mas deixo agora o tutorial, passo a passo, carreira a carreira. Julgo que com as indicações escritas e as fotografias será fácil de seguir. É mesmo simples. Fácil para quem se inicia no crochet ou para quem, simplesmente, quer um xaile rápido de se fazer. Um bom esquema para um primeiro xaile.

Bom trabalho!

TUTORIAL XAILE SIMPLES

Abreviaturas e termos:
Ponto Cadeia: pc; Ponto Alto: pa; Ponto Baixo: pb;
Cordão: conjunto de pontos cadeia; Leque: conjunto de 2pa+1pc+2pa
Desenho deste esquema: conjunto de 4 leques que formam um losango

carreira 1: 8pc seguido de 1pa dado no primeiro pc feito.

carreira 2: vira o crochet; 8 pc seguido de 1 pb dado no cordão da carreira abaixo; 5 pc seguido de 1pa dado no 3º pc do início da carreira abaixo.

carreira 3: vira o crochet; 8 pc seguido de 1 pb dado no cordão da carreira abaixo; 1 leque dado no pb da carreira abaixo, seguido de 1 pb dado no cordão da carreira abaixo; 5 pc seguido de 1 pa dado no 3º pc do início da carreira abaixo.

carreira 4: vira o crochet; 8 pc seguido de 1 pb dado no cordão da carreira abaixo; 1 leque dado no pb da carreira abaixo, seguido de 1 pb dado no pc do leque da carreira abaixo; 1 leque dado no pb da carreira abaixo, seguido de 1 pb dado no cordão da carreira abaixo; 5 pc seguido de 1 pa dado no 3º pc do início da carreira abaixo.

carreira 5: vira o crochet; 8 pc seguido de 1 pb dado no cordão da carreira abaixo; 5 pc seguido de 1 pb dado no pc do leque da carreira abaixo; 1 leque dado no pb da carreira abaixo, seguido de 1 pb dado dado no pc do leque da carreira abaixo; 5 pc seguido de 1 pb dado no cordão da carreira abaixo; 5 pc seguido de 1 pa dado no 3º pc do início da carreira abaixo.

carreira 6: uma carreira só de pc para isolar o desenho – 5 pc seguido de 1 pb dados nos respectivos sítios da carreira abaixo.

carreira 7: terminado um desenho, feita a carreira só de cordão, inicia-se um novo conjunto de desenhos. Os desenhos de uma carreira intervalam com os da anteriores.

carreira 12: para exemplo de como vai crescendo o crochet, avançamos para a carreira nº12, onde vemos a alternância dos desenhos e como em cada carreira vai surgindo mais um, e só um, conjunto de leques.

 

slow crochet

Da linha grossa à linha fina vai a distância da perseverança. Com a primeira depressa chegamos ao destino, à peça concluída. Com a segunda tudo é devagar, mas tudo é mais gratificante porque nos superamos a cada volta que concluímos. Uma define o comum, a outra o trabalhoso, o dedicado e o delicado. Não se faz uma peça de crochet em linha 12 ou 20 num dia. O trabalho é mais atento, é preciso mais cuidado com a agulha, os olhos trabalham mais. Vemos o novelo com uma duração quase infinita e o crescimento quase nulo do crochet que vai saindo da agulha. Mas sabemos que a peça final será linda e de valor inestimável, por isso persistimos. Com esta linha mais fina, diz a tradição, faz-se (fazia-se?) peças essencialmente decorativas. Quem as faz é para si ou para oferecer, raramente para vender porque nunca será bem pago.
Numa altura em que o crochet que faço é, precisamente, para consumo interno, é a este crochet que me tenho dedicado, ao lento, ou, apropriando-me de termos modernos, ao slow crochet. Estou a fazer um xaile em linho para o próximo verão. Já o imagino, tão lindo que vai ficar! O esquema tirei-o deste livro , adaptando-o para o modelo triangular de um xaile. É simples, mas nesta primeira tentativa não quis abusar entrando num intrincado esquema que me vencesse. E simples é sempre uma boa solução.