Vida

Porque é que combateis? O mundo é vasto!
Dá para todos – todos, no seu pano,
Podem talhar à farta e à larga um manto
Com que cobrir-se… e que inda arraste… É vasto,
Erguei somente os olhos! alongai-os
Pelo horizonte! e, além desse horizonte,
Há mil e mil como este!
Se vós tendes
O olhar fito nos pés, aonde a sombra
Em volta de vós mesmos gira apenas,
O que podeis saber desse Universo?!

Antero de Quental, in poema Vida, 1863