Archive / Julho, 2008

Poeta-total-tudo

Poeta-total-tudo, e é assim que um site brasileiro chama a Fernando Pessoa…
Nem sei que diga. Estes brasileiros! São um bocado aligeirados, não são? E os neologismos?
Mas a verdade é que o site até vale a pena, tem tudo de Fernando Pessoa. Não é bonito mas tem o trabalho do poeta (e de outros) e chega. (Para quem acha que os livros não valem a pena, pode sempre encontrar nestes sites os trabalhos dos grandes autores.)
Tenho constatado que eles, os brasileiros são amantes deste nosso poeta ou pelo menos publicitam-no como nós não o fazemos. A grande maioria das buscas que faço na net a Fernando Pessoa remetem para lugares brasileiros.
O importante aqui é a divulgação da poesia e pode ser que este jeito brasileiro de ser consiga espalhar a cultura por outros lugares e conquistar pessoas que não sejam encontradas pela pseudo-seriedade dos detentores do saber.
Afinal, o que faz falta é animar a malta mas também dar-lhes poesia!!!

Não comer e olhar para o sol

Há uns anos atrás, assisti a um Programa do Jô em que ele, o Jô, e uma senhora discutiam as experiências levadas a cabo por um grupo de pessoas, do qual ela fazia parte, que simplesmente não comiam. Sim, não comiam.
Tudo começava por um difícil processo de adaptação ao jejum, diminuindo gradualmente os alimentos ingeridos até chegarem a um ponto em que apenas bebiam um pouco de sumo de tempos a tempos, ou uma azeitona, ou uma ervilha!!! A energia iam buscá-la ao sol!! Ficavam sentados virados para o sol e olhavam directamente para a sua luz e, diziam eles, ficavam revigorados e alimentados.
Inacreditável.
A verdade é que essa senhora, agora já não me lembro à quanto tempo, mas já não comia à uns meses largos. Olhava para o sol! E tinha uma boa figura, um ar saudável.
Isto nunca mais me saiu da cabeça e passou a ser brincadeira para quem comigo assistiu ao programa, “olha para o sol”…
Imagino como seria o mundo se o ser humano chegasse a este ponto de elevação: não precisar de comer!
O espaço que ganharíamos no mundo. O tempo que ganharíamos. Trabalhar já não seria para sobreviver mas para viver simplesmente! Que grande utopia…
Utopia já não seria a possibilidade que daríamos a este frágil mundo se todos nós apenas ingerissemos o necessário para nos manter vivos e saudáveis. Evitaríamos muitas doenças e a maior vergonha humana: morrer por excesso de comida.
E porquê isto tudo, agora? Porque hoje esqueci-me de almoçar…….