Archive / Agosto, 2008

Fernando Pessoa Aconselha

Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário. Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

Fernando Pessoa

Um poema para ti

Amor e seu tempo

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
o prémio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe
valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.

Carlos Drummond de Andrade

Silly Season

Mesmo trabalhando, retomando já a rotina que nos organiza e orienta, esta é uma época estranha ao pensamento, ao raciocínio.
O primeiro a chamar ao Verão a Silly Season percebeu que esta época está fadada.
Preguiça, um certo ócio que parece involuntário, desleixo… Férias, calor, sol, praia entranham-se no pensamento e no dia-a-dia de quem anda à solta. Ninguém escapa à descontracção, aos calções e chinelos de dedo. É muita gente! Demasiadas pessoas paradas neste mês de Agosto!
Tivesse eu outro emprego e conseguiria passar por este famigerado mês incólume. “Piscine exterieure?”, “Pour la piscine interieure c´est necessaire bonnet de bain”, “Vous voudrez chaise-longue?”…
Digamos que é um posto de observação do comportamento humano. E que comportamento!
Quem gostará deste maravilhoso mês serão os nossos governantes, por eles mesmos, também, estarem de férias e porque todas as crises parecem se dissipar. É ver o dinheiro a correr! Ele sai dos bolsos dos veraneantes esfumando qualquer dificuldade financeira que no mês passado assombrava a vida destas famílias (e que voltará a assombrar já em Setembro…)
A vontade tremenda de aproveitar cada segundo de férias dá a este mês ares de final de ano. Aguardar pelo fim de Agosto é aguardar pelo final de ano. Sou de opinião que Setembro é o mês apropriado para as resoluções de Ano Novo. Tudo acaba e tudo começa novamente, sempre com promessa que desta vez será melhor. E para o ano é que vai ser…