aprender e começar

Aprender é sempre uma boa solução. Seja para matar tempo livre, para quebrar a ansiedade ou para aumentar a auto-estima, aprender é sempre bom.
Desafiada pela minha amiga Patrícia, que queria fazer alguma coisa de diferente com os miúdos nestas férias de Natal, organizei uma oficina de costura cá em casa. A Cláudia foi a escolha óbvia porque está como peixe na água nesta andanças e porque há muito eu mesma queria fazer uma oficina com ela.
Estive com a Cláudia pessoalmente uma vez, há uns 5 anos, e a empatia por ela foi imediata. Desde aí que a nossa relação se dá sobretudo de modo virtual, mas não é uma relação menor, partilhamos muitos pontos de vista e, o que interessa aqui, o gosto pelas manualidades, pelo saber fazer, pela costura. E gosto tanto do seu sempre presente entusiasmo, da boa disposição, da esperança. A Cláudia é uma pessoa da esperança talvez porque trabalha com crianças e conta histórias. Quem conta histórias não perde a esperança.
Aprendi, aprendemos a fazer uma taleiga. A minha pequenina de 5 anos foi aluna atenta e empenhada e já me cobrou uns quantos taleigos desde o dia da oficina, “vamos fazer um saquinho, mamã!”. No meio da azáfama das festas, fiz um muito tosco, mas quis consolidar os passos e assegurar que não me esqueço de nenhum. O próximo será com todo empenho e esmero necessário para um resultado bom. A Patrícia, que não tem máquina de costura, já disse peremptoriamente, “vou comprar uma máquina”. Há quem já esteja à espera de muitas roupinhas de bonecas!
Saímos da oficina cheias de vontade de abraçar esta nova habilidade, este novo saber, com um espírito perfeito para começar o novo ano que aí vem. O espírito próprio dos princípios. Que bom.

É tudo que vos desejo para o vinte vinte, um espírito cheio de vontade de princípios. Entusiasmo, alegria, persistência e a esperança dos dias felizes, como o dia da oficina de costura.

Bom ano 2020!